sábado, 5 de maio de 2012

Pássaros sob a ameaça das hidroelétricas

Choca-preta-e-cinza (Thamnophilus nigrocinereus) Foto: Josep del Hoyo

Um olhar superficial não dá a medida do estrago que uma hidrelétrica pode fazer. É preciso mirar até onde ela vai chegar e tudo o que sumirá sob a inundação que a barragem e seu lago provocarão. Por exemplo, as barragens interrompem o caminho de peixes migradores como os bagres. Elas também inundam o ambiente onde vivem pássaros com habitats circunscritos: ilhas fluviais, pedrais e várzeas, ambientes condenados pelas barragens. Esse tipo de desaparecimento já é considerado por ornitólogos como uma ameaça às aves.
Sérgio Borges, ornitólogo da Fundação Vitória Amazônica (FVA), é um dos especialistas preocupados com o impacto das barragens na vida de pássaros brasileiros, especialmente daqueles que vivem em ambientes associados aos grandes rios da região Amazônica. “Para peixes, a hidrelétrica é uma ameaça mais óbvia. Porém, aves sedentárias que ocorrem em apenas um tipo de ambiente, que têm territórios restritos e pouca capacidade de deslocamento vão sofrer porque o habitat delas será afetado”, afirma. A andorinha-de-coleira (Pygochelidon melanoleuca) é um exemplo. Com distribuição ampla, pode ser encontrada em várias regiões do país e, embora não esteja sob risco de extinção, pode sofrer com hidrelétricas, pois se alimenta e reproduz em ambientes muito específicos, como pedrais e cachoeiras. “São ambientes alagados durante uma parte do ano e disponíveis em outra época. Se este ciclo for perdido, o pássaro perde o habitat”, alerta o ornitólogo. Populações locais podem sofrer pesadamente com a construção de hidrelétricas.
Em um cenário em que todas as grandes sub-bacias da Amazônia já estão sob a mira da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), não se sabe o tamanho do estrago que as barragens podem fazer.A várzea depende do rio, da sedimentação e da flutuação natural no nível da água. A gente não sabe em que escala uma hidrelétrica vai afetar esse ambiente, ainda mais quando se fala em várias hidrelétricas no mesmo rio”, adverte Borges.
- Vandré Fonseca - ((o))eco -

Novidades: reparou no cabeçalho do blog? Tenho páginas com dicas, frases e fotos ecológicas! Fique à vontade para ver e usar!

Bom final de semana!

5 comentários:

Aliny disse...

poxa fiquei com dozinha do passarinho '; o q vi na img q fowfinho...corrigindo (dó dos passaros) sera q nao tem um meio termo ??? euzinha nao entendo se tem q contruir a hidrelericas ...se poderia ser em outro rio..resumindo so sei q da uma tristeza imensa de saber q os passaros nao vao ter + seu habitat...tia otimo fds..fiquem com Deus ...saindo mt tristinha do Eco..buááááááá

Ane disse...

Puxa vida,é sempre a natureza que paga pelo "progresso",quando isso vai ter fim?Beijos ecológicos!

ONG ALERTA disse...

No Brasil não existem prioridades....
Beijo Lisette.

Zéza disse...

Oi querida! Vim agradecer a sua visita e avisar que já atualizei! Estou esperando sua visita!! Beijos azuis!

... Morgana disse...

Olá dinduxinha! Esse seu cantinho é muito bom! A natureza sempre paga o pato do nosso conforto... Quando ela dá o troco, a gente reclama! Beijos cintilantes. Morgana