sábado, 7 de abril de 2012

Respeito ao ciclista é rotina em Londres

Farol fechado. Todos os veículos parados com seus motores ligados. Luz vermelha acesa, bem à minha frente. Era o primeiro da fila de carros e, sem gerar fumaça, apoiava o pé esquerdo no chão, buscando equilíbrio. Estava de bicicleta em uma avenida qualquer no centro de Londres. Farol verde: “Os carros vão começar a buzinar e acelerar. Vão me pressionar”, pensava ansioso e preocupado. Meu pé escapou do pedal direito quando tentei colocar a bike em movimento, fazendo o pedivela girar em falso para trás. Esse tempo ‘desperdiçado’, logo após o farol abrir, costuma parecer uma eternidade para o motorista logo atrás de um ciclista. Enquanto puxava o pedal para cima, para a segunda tentativa de me equilibrar sobre a bicicleta, pensei: “Pronto, pela primeira vez vou ser xingado em inglês, porque errei a primeira pedalada”. Silêncio. Assustador silêncio. Olhei rapidamente por cima dos ombros e os motoristas estavam lá, aguardando, esperando pacientemente que o ciclista meio atrapalhado à frente de todos aqueles motores, que lembrava um albatroz em estabanada tentativa de levantar vôo, desse-lhes passagem. Atônito com a cortesia, consegui sair pedalando e me mantive à esquerda. Tive vontade de sorrir para os parachoques, pneus e escapamentos que, agora acelerando, finalmente me ultrapassavam e seguiam seus propósitos. Nenhum dos motoristas me encarou com olhar irritado ou de reprovação. Na realidade, motorista algum olhou para mim”.


Londres é ‘ciclável’.
Apesar disso, também há acidentes, desentendimentos, discussões entre ciclistas e motoristas. Onde houver ‘mais fortes’, provavelmente sempre haverá risco para os mais frágeis. Pedalando por aqui já levei algumas fechadas, raras, mas aconteceram. Ganhei algumas buzinadas nas orelhas, mas, confesso, mereci as broncas. Creio que nunca me sentirei seguro pedalando entre carros, mas, em Londres, sinto-me inserido, parte de um fluxo que me compreende como mais fraco, dando-me preferência de passagem.
Constantemente penso sobre como esta cidade evoluiu para este comportamento em relação aos ciclistas, principalmente considerando traços peculiares da personalidade do povo britânico, bastante apegados às regras, à importância da privacidade e à discrição. Conclui que o confronto entre carro e bicicleta, quando causa reflexão, pode ter como desfecho o respeito. Inicia-se, então, a fase prática. Respeito praticado conduz à espontaneidade, à naturalidade do ato. O motorista local já não pensa sobre a presença da bicicleta como um veículo lento e inconveniente à sua alta velocidade. Simplesmente a aceita na via. É, portanto, o fim da reflexão e o estágio seguinte à prática do respeito: o hábito. O exercício do respeito à opção alheia se torna um costume. O ciclista também evolui e não é mais suscetível a desentendimentos, deixa de pedalar com pedras nas mãos.
A relação entre ciclistas e motoristas deve ser simbiótica. Motoristas respeitam as bicicletas e seus condutores, beneficiados com mais espaço para trafegarem, menos engarrafamentos e mais fluidez de tráfego; ciclistas, percebendo-se aceitos, pedalam livremente, mas em traçado regular, seguro e previsível, sem o iminente temor de serem fechados ou derrubados, sem predisposição a discussões raivosas, exercendo o direito de se transportarem do modo que escolheram, enquanto aproveitam o trajeto para suar, sorrir e se fazerem mais saudáveis. Nessa relação harmoniosa, de cordial compartilhamento e compreensão das vias como espaço público, os pulmões de ambos são beneficiados. Os demais cidadãos locais também recebem vida extra em seu sistema respiratório.

Após 5 meses como ciclista por aqui e 1.200 km depois, percebo que relacionamentos conflitantes podem deixar de existir quando os envolvidos, tensos e rancorosos com o histórico de desentendimentos anteriores, asseguram-se que a mudança para o bom convívio irá lhes proporcionar benefícios e melhorias. Esse parece ser o caminho para o fim do pavio curto e da rivalidade, uma atmosfera amigável na qual todos venham a ter, de fato, melhores condições que as anteriores. Enxergo o tratamento com os ciclistas de Londres neste estágio. Claro, da mesma maneira que, por exemplo, um presidente nunca é avaliado com total aprovação, há os que não estão satisfeitos, que não compreendem ou não concordam com o compartilhamento das ruas, com a presença de bicicletas entre carros ou com o tradicional domínio dos portadores de escapamentos. Mas, nunca é demais lembrar, as vias são publicas e devem servir a todos. E, acima de tudo, as cidades devem existir para as pessoas."
- texto e fotode Fernando Carignani -

Novidades: reparou no cabeçalho do blog? Tenho páginas com dicas, frases e fotos ecológicas! Fique à vontade para ver e usar!

Bom final de semana!

6 comentários:

Ane disse...

Oi Tetê!Muito bom teu post,mas cá pra nós não dar pra comparar a educação dos ingleses com o do povo brasileiro,infelizmente.Eles lá respeitam não só as bicicletas e quem está em cima delas,mas respeitam todas as leis.Temos muito que aprender com eles.Bjos ecológicos!

Frida disse...

Olá querida! Valiosa essa sua reflexão! É uma grande alegria receber sua visita! Muito obrigada! Acabei de atualizar. Luz e Paz! Frida

nadja disse...

Nossa a educação de lá é muito superior...ñ sei andar de bicicletas kkkk...Bem passando ligeirinho para desejar uma feliz semaninha !!! Mesmo caminhando entre espinhos e com muitas pedras no caminho, continue caminhando com coragem e confie no poder Daquele que é maior. Tenha um maravilhoso dia! bitucassss kiida postei no meu fantasia de amor..e no mundinho mistico,,,quando puder dá uma zoiadinha !!! Te dolu fuiiii http://fantasiadeamor.zip.net/ http://mundomisticodanadjinha.blogger.com.br/

Pollyanna Monteiro disse...

Que alegria receber comentários e, com eles, o carinho dos amigos! Muito obrigada por sua visita! Graça e Paz! Beijos no seu coração. Polly

Casinha das Gifs ^^ disse...

Boa tarde minha fofaaaaaaaaaaaaaaaaa........
A Dinda tá na áreaaaaaaaaa....
Que delícia trocarmos novamente carinhos ^^
Meu Senhor muié.... Você tem essa quantidade de blogs e dá conta? rsrs...
Amei o tricotando com Tetê =D
Queria saber qual você mais atualiza.
Assim estarei sempre comentando em 1 e visitando os outros.
Vou dar uma viajada agora nos restantes, rsrs...

Linda minha! Nem acredito que estou aqui novamente teclando com vc =D
Amo você de paixão!
Beijinhos no seu lindo coração e fique com Deus!
Com carinho, sua e sempre dinda... TATIANA BERTOLIN

http://casinhadasgifs.zip.net

MARY disse...

Olá,Amiga Tetê! Como vai?
Apesar do nosso bairro não ter uma Ciclovia ,o Jairo gosta muito de esar a Bike em vez do Carro! Vai ao Supermercado ,ao Banco e etc.
Mas confeço que apesar de saber que é um meio de transporte não poluente, fico preocupada com o trânsito intenso!
Amiga, vim desejar um Ótimo Fim de Semana a Vcs!
Vc gosta do rítmo "Charme" da novela global das 21hs?
No Blog dos CASAL de LOBOS conto como surgiu esta dança,
e no NATUREZA FEMININA postei um Clip e a Letra da Música .
Ah! hoje é "Dia do Beijo"! Postei tb a foto de Beijo que gosto muito!
"Besitos en tu Corazón",
MARY.

htt://casaldelobos5.zip.net
http://naturezafeminina.zip.net